G-0DW8WW2J2K
Lider

Caso Herisson Medeiros: acusado da morte de lutador de MMA em Cabedelo é condenado a 16 anos de prisão

.

Por Denny Costa em 08/02/2024 às 21:20:29

Na época, três suspeitos foram detidos em flagrante, sendo dois adultos e um adolescente, e foram indiciados por homicídio qualificado. Fórum de Cabedelo, na Paraíba, onde acontece o julgamento da morte de Herisson Medeiros

Divulgação/Tribunal de Justiça da Paraíba

Gustavo José Pereira Dias foi condenado a 16 anos de prisão pela morte do lutador de MMA Herisson da Silva Medeiros, em janeiro de 2015. A sentença foi divulgada na noite desta quinta-feira (8), após um júri popular, realizado na 1ª Vara Mista da Comarca de Cabedelo. A juíza responsável foi a magistrada Thana Michele.

O acusado foi condenado por corrupção de menores e homicídio qualificado, considerando como qualificadoras o motivo fútil e a utilização de recurso que dificultou as chances de defesa.

A defesa de Gustavo José afirmou que deve recorrer da decisão porque ela seria contrária às provas dos autos. Segundo o advogado Ítalo Oliveira, o acusado não seria o autor dos disparos e não era proprietário da arma. A defesa afirma que a arma pertencia ao adolescente envolvido no crime.

O julgamento do segundo réu envolvido no caso, Igor Matheus Feitosa Lopes, será realizado no próximo dia 29. De acordo com o Tribunal de Justiça da Paraíba, o Ministério Público trouxe novas informações relacionadas com o procedimento de ato infracional de um menor, que também está envolvido, por isso foi necessário o adiamento do julgamento.

LEIA TAMBÉM:

'Não posso perdoar', diz mãe de lutador morto na PB sobre suspeitos

Relembre o caso

Os dois homens adultos, os estudantes Gustavo José Pereira Dias e Igor Matheus Feitosa Lopes, chegaram a ser presos no presídio do Roger, mas respondiam em liberdade após ter o pedido de prisão provisória revogado pela justiça.

De acordo com a defesa, tanto as testemunhas quanto o estudante e o adolescente que foi apreendido como suspeito contam que o outro jovem que foi preso é o responsável pelos disparos.

O crime ocorreu em terreno baldio, bem próximo à orla de Intermares. O irmão do lutador de MMA Herisson da Silva Medeiros, contou que ele, Herisson, e a esposa do irmão tinham ido deixar os pais em casa e voltavam para a festa de Réveillon quando houve o crime.

Na época do crime, o irmão da vítima disse que os suspeitos estavam usando drogas minutos antes de cometer o homicídio. "Meu irmão tropeçou, eu vi na hora que ele tropeçou. Quando eu me deparei com a situação, vi que eles estavam tendo um atrito verbal. Ele estava a um metro de distância. O suspeito realmente se equivocou, meu irmão viu quando ele se levantou. O suspeito então sacou a arma e fez toda a situação", alegou.

O trio foi detido no mesmo dia do homicídio, no dia 1º de janeiro. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Militar, uma equipe da PM que estava na área onde o crime aconteceu. Os policiais escutaram um disparo de arma de fogo e foram ao local, conseguindo perseguir e prender os três suspeitos. A arma utilizada foi apreendida, um revólver calibre trinta e oito com cinco cápsulas deflagradas.

Herisson lutava há mais de dez anos, chegou a participar de competições importantes no MMA. Segundo a família, ele morou oito meses em Natal, treinando, e há dois meses havia voltado para João Pessoa para ficar mais perto da esposa e da filha de dez anos.

Vídeos mais assistidos do g1 PB

Fonte: Globo

Comunicar erro
Bono

Comentários