G-0DW8WW2J2K
Mais Utilidades

Famílias retiradas da comunidade Dubai, em João Pessoa, não têm prazo para deixar escolas

Por Denny Costa em 24/11/2021 às 18:13:31

Auxílio moradia depende da regulamentação da documentação dos moradores. Reunião discutiu a situação das pessoas que foram retiradas da comunidade, que estão abrigadas em escolas. Na ocasião, diversas propostas foram divulgadas, todas sem datas determinadas.

Felícia Arbex - TV Cabo Branco

Uma reunião para buscar soluções de assistência aos moradores após a desocupação da comunidade Dubai aconteceu na tarde desta quinta-feira (24). O encontro ocorreu no Fórum Cível de João Pessoa e foi promovido pelo juiz Antônio Carneiro. Na ocasião, diversas propostas foram divulgadas, mas sem datas definidas. Não existe uma previsão, por exemplo, de até quando as pessoas vão ficar nas escolas.

Se reuniram representantes municipais e estaduais das forças de segurança que atuaram na desocupação, representantes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a secretária de habitação da capital, Socorro Gadelha, além de cinco ex-moradores da comunidade Dubai, enviados pelas famílias para participar das discussões.

Durante a reunião, as principais dúvidas dos moradores eram relacionadas às condições de moradia a partir de agora. Ficou definido que, para conceder o auxílio para que novas casas sejam alugadas, é preciso que todos tenham documentação regular. Muitos moradores que foram desocupados não possuem carteira de identidade, para sanar o problema. Por isso ficou acordado que será feito um mutirão de documentação.

Quanto a principal preocupação, sobre o prazo para que as famílias sejam reintegradas a uma moradia, o juiz afirmou que não é possível precisar uma data. Disse, ainda, que as etapas burocráticas quanto a documentação para concessão dos auxílios precisam ser cumpridas.

Foi apresentada, ainda, uma possibilidade de curso de capacitação por meio do Sistema Nacional de Emprego (Sine). Para o trato da saúde, diante das possibilidades dos casos de Covid-19 se agravarem por causa do alojamento precário, a chefe de imunização da SMS, Aline Grisi, garantiu dar continuidade às testagens e às aplicações de vacinas, com o intuito de regularizar o calendário vacinal dos moradores.

Em relação às necessidades emergenciais enquanto os moradores estão abrigados em escolas de João Pessoa, ficou definido que serão oferecidas duas refeições ao dia e que agentes de segurança farão a guarda dos locais. Segundo o que ficou acordado na reunião, as movimentações devem ter início a partir da quinta-feira (25).

Entenda a desocupação

A comunidade Dubai I, localizada na zona sul de João Pessoa, foi desocupada na terça-feira (23). Construções erguidas no local foram demolidas. A operação, realizada pela Polícia Militar e o Ministério Público, teve início após uma decisão judicial que atendeu ao pedido da prefeitura.

O local fica em uma área de preservação ambiental, com 15 hectares da mata atlântica remanescente do país. Segundo a PM, para construir moradias irregulares, as pessoas devastaram grande parte da mata, com a derrubada de árvores e queimadas, cometendo assim crime ambiental e extinguindo diversas espécies da flora e fauna.

Ainda de acordo com a PM, mais de 400 famílias ocupavam a área. Pelo menos 600 policiais militares participaram da ação, além de profissionais de outros órgãos.

Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

Fonte: Globo

Comunicar erro

Comentários